Comunicado do PAN sobre o abandono de animais

Estamos no Verão, em período de férias e, como acontece todos os anos, muitos animais são abandonados por quem antes os acolheu. As associações de defesa dos animais e os canis/gatis municipais já começam a sentir os efeitos destas acções lamentáveis, agravados por vivermos num período de “crise”.

 

É inaceitável abandonar um animal em tudo semelhante a nós na capacidade de sentir prazer e dor, físicos e psicológicos, de ter emoções e percepções de bem e mal-estar. É inaceitável abandonar um animal que se afeiçoou a um ser humano ou a uma família, habituando-se a ter um lar, alimento e companhia. É inaceitável abandonar à fome, à sede, aos maus-tratos e à morte quem nos ofereceu o seu amor incondicional e o benefício da sua companhia durante muito tempo e subitamente é tratado como uma coisa e como lixo, só para alguém passar uns dias sem o trabalho de o cuidar. É inaceitável esta conduta irresponsável, leviana e criminosa.

 

 

O PAN luta por uma política de adopção responsável e pela alteração do estatuto do animal no Código Civil, de modo a que os maus-tratos e abandonos sejam efectivamente vigiados, detectados e punidos. Todavia, mesmo quando a lei for alterada, sabemos que uma parte essencial da solução passará sempre pela tomada de consciência de que os animais não são objectos inanimados, que possamos usar enquanto nos dão prazer e depois deitar fora. É fundamental sensibilizarmos todos aqueles que têm ou consideram ter animais de companhia para este facto.

 

O PAN apela a toda a população para que não abandone os seus animais de companhia, vigiando e denunciando às autoridades competentes (PSP ou GNR) todos os abandonos. A crise que atravessamos não é apenas económico-financeira, mas, mais profundamente, uma crise de valores éticos. Sem uma ética da responsabilidade, que abranja humanos, não-humanos e todo o planeta, não é possível sairmos do momento difícil que atravessamos, em Portugal e no mundo.

 

Não abandonem os vossos animais! Abandonar um animal e tratá-lo como lixo é abandonar e tratar como lixo a nossa própria humanidade.

 

O Partido pelos Animais e pela Natureza