AçoresAgricultura, Mar e FlorestasRegionaisRegionais Açores 2020

PAN/Açores pretende que os produtores agrícolas da Região sejam mais valorizados

O PAN/Açores quer que os produtores agrícolas da Região sejam mais valorizados. Em audiência com Associação de Produtores Agrícolas dos Açores – Terra Verde, o cabeça-de-lista por São Miguel, Pedro Neves, prometeu uma estratégia que proteja o que “é  nosso”, e que haja uma equidade em relação aos apoios dos fundos governamentais e  ao nível de infra-estruturas, como acontece na pecuária.

Pedro Neves lamentou que, “com as produções de carne e do leite, conhecidas como ‘o culto da vaca’ na região, o Governo Regional esquece-se do apoio às outras associações de agricultores”. A falta de apoios na Agricultura na região é um facto; o gasóleo agrícola não se estende de forma adequada à realidade das Associações Agrícolas e das Organizações de Produtores; faltam laboratórios de análises de modo a dar respostas atempadas ao produtor, sem ser necessário enviá-las para o exterior; faltam apoios aos pomares tradicionais; o apoio da POSEI deverá ser igual  na área hortícola e frutícola.

A Terra Verde tem como foco garantir ao consumidor produtos com garantia de qualidade e sustentabilidade ambiental, com as características diferenciadoras que o próprio ecossistema da região lhe atribui. A defesa desta Associação estende a sua defesa também a montante, os seus associados, facilitando rotas comerciais com os seus produtos agrícolas.

O PAN/Açores defende que os produtos frutícolas, hortícolas, vitivinícolas, bem com a silvicultura são uma mais-valia para a região, com valor acrescido para uma agricultura diversificada robustecendo a autonomia alimentar da região. Mas para potenciar a sua produção é preciso ter uma política que promova os produtos regionais e que reduza as importações dos produtos semelhantes aos que estão a ser escoados localmente. É imperativo reduzir o peso das importações no mercado agrícola, que nos últimos quatro anos de governação socialista aumentaram de 60% para 80%. Esse é o caminho para uma verdadeira defesa tanto dos agricultores como da economia açoriana.

Pedro Neves afirma que “as associações e as economias agrícolas familiares enfrentam graves dificuldades em resultado das más políticas Regionais, que apenas defendem associações agro-pecuárias, dedicadas exclusivamente à produção da carne e do leite, ignorando outras associações agrícolas que promovem produtos para hábitos alimentares mais saudáveis e com uma pegada ambiental bem menor”.

Tanto nos Açores como a nível nacional é notório o descontentamento dos produtores agrícolas, que se têm vindo a manifestar de diversas formas. Esta Sexta-Feira, em Lisboa, decorre a “Manifestação de Delegações de Agricultores e Dirigentes Associativos”, com o objectivo de reclamar melhores políticas para a agricultura familiar e em defesa da soberania alimentar do país, tal como o PAN, um pouco por todo o país, tem vindo a exigir. O partido continuará empenhado na salvaguarda dos interesses dos agricultores no que respeita à agricultura familiar e aos seus direitos e os próximos quatro anos são fundamentais para uma mudança de paradigma.